Cuidados com a pele do rosto na gestação e no pós-parto


A gravidez é o período da vida das mulheres em que ocorrem diversas mudanças imunológicas, endócrinas, metabólicas e vasculares, que as tornam mais propícias a diversas alterações cutâneas. Isso gera grande ansiedade para a futura mãe, principalmente nas dúvidas de caráter estético e a possibilidade do não desaparecimento dessas lesões após a gestação.

Diante de qualquer alteração cutânea, a gestante deve, em primeiro lugar, procurar seu obstetra, que a orientará a possíveis exames ou então a encaminhará a um dermatologista para um parecer quanto ao caso.

A mulher grávida necessita de cuidados especiais com a pele para evitar ou, pelo menos, amenizar distúrbios da pigmentação tão comuns em quase 90% dos casos que decorrem de alterações hormonais nesse período. Nota-se, mais comumente, um aumento da pigmentação em áreas como mamilos, aréolas mamárias, genitália externa e linha central do abdômen. Sem mencionar sinais, cicatrizes e sardas, que também se tornam mais escurecidos nesse período. Porém, com o término da gravidez, boa parte dessas alterações regridem espontaneamente.

Ao contrário dessas, o surgimento do melasma, pigmentação acastanhada das regiões centrais da face, mais comumente no segundo trimestre da gestação, causa grande preocupação na mulher. Esse acomete em torno de 50 a 70% das gestantes, podendo ter seu quadro iniciado ou agravado durante a gestação, nas gestantes suscetíveis a exposição aos raios solares. Os fotoprotetores para raios UVA e UVB, no mínimo fator 15, são os mais indicados e de grande auxílio tanto na prevenção quanto no tratamento dos melasmas já existentes. Devem ser aplicados 30 minutos antes da exposição solar, várias vezes ao dia, mesmo em ambientes fechados. Deve-se evitar exposição solar entre 10 e 16 horas, sendo fundamental o auxílio de óculos solar, barracas de praia e chapéus. Porém, se a gestante já possuir melasma, além dos cuidados com a fotoproteção, deve-se realizar a troca da medicação despigmentante a uma mais apropriada a esse período.

Acne é uma outra preocupação, surgindo em 25% das gestantes, principalmente no primeiro trimestre, devido à elevação dos níveis de progesterona. O tratamento requer atenção especial, pois muitas drogas não podem ser utilizadas. Cabe uma orientação adequada, pois apesar de muitas drogas serem de uso tópico, existe uma absorção cutânea expressiva, o que requer certa prudência na prescrição. O primeiro passo no combate a acne é uma boa orientação quanto a higienização cutânea, com produtos suaves que não ressequem a pele, seguido do uso de filtros solares e maquiagem que não estimulem a formação de cravos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s